Buscar
  • Denise Personal Kids

Que tal brincar de ler?

Denise Schmitt Garcia


Todos sabemos da importância do hábito de leitura no desenvolvimento da criança.

Muitos pais começam a ler para os filhos quando ainda estão na barriga de suas mães. Outros incentivam a leitura através de exemplos: lendo, mostrando a importância dos livros em suas próprias vidas, levando seus filhos a livrarias e bibliotecas. Tudo para que os pequenos percebam os benefícios da leitura e se espelhem em seus pais.

No entanto, para que a leitura ocupe espaço na vida da criança, é preciso mais do que informação. É preciso ação, dinamismo e movimento. Tudo na vida de uma criança acontece no universo do brincar. Com o livro não é diferente. Investir em atratividade e envolvimento é fundamental quando se pensa em estimular a leitura e a escrita.

Criar o hábito da leitura


É aconselhável despertar o interesse da criança o quanto antes. Pesquisas revelam que, famílias que exercem o hábito da leitura têm mais chance de ter filhos leitores do que aquelas que se utilizam de outras opções de lazer. Por isso, sempre digo que o exemplo é determinante para a formação de nossas crianças! Nós, pais, somos e sempre seremos uma referência para os nossos filhos.

Vamos pensar em um jogo. A competição do livro com o game é fatalmente desleal. Colocando um contra o outro, o livro perde. Um tem milhões de palavras que remetem à escola; o outro, oferece um mundo colorido e dinâmico que remete ao lazer e à ação. Qual será a escolha mais provável de uma criança?

Precisamos ajudar os livros nesta batalha intelectual! Permitir que as nossas crianças tenham a chance de fazer descobertas na leitura, se sintam instigadas com uma estória, curiosas com os desfechos e não julguem os livros pelo número de páginas.

Despertar o gosto pela leitura em nossos filhos é uma atitude que depende também de nosso empenho e dedicação. Sabemos que futuramente irão nos agradecer e, consequentemente passarão pelos inúmeros anos escolares com mais facilidade. Mas o que podemos fazer hoje, na prática, para começar a promover este estímulo em nossos filhos dentro de casa?

PRIMEIRA INFÂNCIA (0 a 6 anos)


Para as crianças pequenas, as cores, o formato, a textura e as oportunidades de interação são fundamentais para despertar o interesse pelos livros. Nesta fase, contudo, de nada adianta um livro fantástico sem alguém (adulto ou adolescente) para lhe dar vida.

Aqui vão algumas recomendações:

Faça leituras pausadas, ajude a criança a observar as imagens e a prestar atenção nos detalhes.

Atribua vozes diferentes aos personagens, faça perguntas curiosas sobre eles e aceite as respostas das crianças, sem pré-conceitos.

Abuse da variedade de livros com texturas, sons, pop up´s e recursos que despertem a surpresa e a interação com o material.

Permita-se deixar fluir a fantasia e a imaginação para, muitas vezes, mudar a estória. Uma mesma criança costuma pedir muitas vezes a leitura de um livro que gostou, exatamente porque ela é capaz de admitir muitas possibilidades diferentes para uma mesma estória. Peça para que a própria criança lhe conte a estória, da maneira dela. Os pequenos adoram se sentir participativos. Além disso, este é um exercício de início à leitura.

Monte um cantinho agradável para ler. Um lugar onde eles possam se sentir livres para explorar, deitar, dormir, sonhar e fantasiar.

Deixe os livros sempre perto de bonecos ou miniaturas de animais. É sempre muito divertido usar fantoches ou brinquedos para incrementar uma estória.

Use papéis para desenhar hipóteses durante ou ao final da leitura. Essa é uma excelente oportunidade para fazer uma retrospectiva do que foi lido, imaginado e contado.

Crie o hábito de leitura antes de dormir, ou antes do banho ou em qualquer outro momento mais conveniente para você e para o seu filho. Ler também estreita vínculos!

Ao levar seus filhos para livrarias, bibliotecas e ambientes de leitura, faça um programa gostoso, com pausa para um sorvete ou algo que torne a experiência mais positiva.

Compre livros de presente para os amiguinhos. Dessa forma, você estará demonstrando concretamente, o devido valor abstrato de um livro. Você passará a mensagem de que livro, é realmente um bom presente!

SEGUNDA E TERCEIRA INFÂNCIA (4 aos 12 anos)

Explore diversas formas de leitura: revistas, jornais, regras de jogos, bulas, receitas, piadas, placas, manuais de instrução... Principalmente para as crianças em idade de alfabetização, tudo pode ser útil para desenvolver a leitura e a escrita de maneira lúdica e agradável.

Compartilhe experiências vividas por você quando se lembrar de algo que leu junto com a criança. Essa associação de uma experiência real com uma oportunidade de leitura, pode despertar um interesse futuro.

Priorize os livros clássicos, as grandes obras e os trabalhos estruturados de autores que você gosta. Hoje em dia encontramos diversas adaptações para a leitura infantil. Converse sobre o que leram e escute as contribuições de seus filhos com a mente aberta! A opinião da criança deve ser considerada para que ela se sinta estimulada a conhecer mais sobre determinado assunto e tente buscar mais informações.

Se você simplesmente lhe der atenção, mostrar interesse em conversar e demonstrar reconhecimento sobre a participação da criança na conversa, será um incentivo para um outro diálogo, outra reflexão e outra leitura.

Estimule a argumentação, mas garanta um ambiente de tranquilidade e parceria. Discussões sobre política, religião ou brigas por questões polêmicas são indicadas para abordar outros tipos de competência, não o incentivo à leitura, sobretudo neste momento da infância.

Proponha leituras agradáveis e curtas, e vá aumentando o tamanho e a profundidade, à medida que a demanda de seus filhos apareça.

Não tente pular etapas! Um artigo sobre democracia ou alta do dólar não costuma ser interessante para uma criança de oito anos, por exemplo!

Faça programas de leitura em bibliotecas, museus, espaços culturais... Acrescente uma pausa para um doce, um sorvete, um hambúrguer, ou algo que torne o programa ainda mais agradável. Um momento para ser lembrado e repetido em outras ocasiões.

Aceite sugestões de leitura de seus filhos. Mostre interesse por aquilo que eles tiveram interesse.

Compare o que a criança lê na escola com o que ela lê em casa. Leia os livros escolares, quando possível, e comente com seus filhos, de preferência, positivamente. Se você não gostar, tente mostrar apenas que há maneiras diferentes de ver a realidade.

Que tal propor uma troca de livros com outros colegas? Essa atitude, além de incentivar a leitura, promove interações, bate papos e reflexões entre eles.

E na hora de comprar presentes... lembre-se sempre de que livros são ótimas alternativas!