Buscar
  • Denise Personal Kids

A convivência entre babás e suas crianças - Parte 1

Denise Schmitt Garcia


Bem-vindos ao mundo das brincadeiras infantis!!


Em primeiro lugar, é importante deixar claro que acredito na brincadeira

como forma de expressão e linguagem na vida das crianças! Brincar, entre

outras coisas, facilita o entendimento do comportamento dos pequenos,

fornece pistas de desejos e pensamentos, mostra o grau de maturidade e

revela todo o seu modo de pensar.


Portanto, se você tem uma criança sob os seus cuidados, vamos começar

considerando que o seu corpo e sua mente precisam estar conectados e

disponíveis primeiro para brincar. Pensando dessa maneira, certamente o

seu trabalho ficará muito mais fácil.


Acompanhar o desenvolvimento e a infância de uma criança é uma missão

muito séria! Por isso, nunca duvide de que: “Você é uma pessoa muito

importante!!!”


Lembre-se sempre: a criança que está em suas mãos é uma pessoa em

formação. Que quando atingir a idade adulta, certamente, se lembrará de

sua infância e carregará dentro de si, experiências vividas com você!

Experiências essas boas e ruins. Percebeu o tamanho de sua importância?

Importe-se em deixar marcas significativas nos seus pequenos. Cuide para

que essas marcas sejam lembradas sempre com alegria e muito carinho.


Os filhos são sempre as pessoas mais importantes para os seus pais, por

isso, a sua responsabilidade é muito grande quando se propõe a brincar,

interagir ou cuidar dos filhos de outras pessoas. As crianças são realmente

pequenas joias de alguém, e você precisa valorizá-las como tal. Se você se

propôs a fazer esse trabalho, dê o seu melhor e ofereça, acima de tudo,

afeto, respeito, carinho e atenção.


Uma coisa também muito importante: procure estabelecer uma relação

de parceria com os pais na educação de suas crianças!


✓ Todos nós temos problemas para resolver: contas a pagar, dor de

cabeça, doenças na família... Mas é importante lembrar que a criança

não tem culpa de nada disso e, independente de seu estado de

espírito, ela está contando com o seu trabalho, com a sua energia e o

seu cuidado. Entendo que todos temos direito a “dias ruins”, mas não

temos o direito de deixar ruim o dia de outra pessoa. Não é mesmo?!


✓ Procure conversar com uma criança na altura dela. Ajoelhe ou abaixe,

se preciso. Fazendo isso, você mostra mais proximidade e aconchego.


✓ Evite gritar ou chamar a criança, pelo nome, em voz alta. Muitas se

envergonham e/ou sentem que estão sendo repreendidas em público.

Além disso, nenhum pai ou mãe gosta de ver alguém aos berros

gritando o nome de seus filhos.


✓ Para brincar não existe cor certa, divisões entre meninos e meninas;

não existe cor de pele (preta, coral, branca, amarela, vermelha)... Tudo

é possível no universo infantil. Deixe esses preconceitos de lado e

permita-se viver a brincadeira em sua intensidade, em sua pureza de

significados, assim como fazem as crianças.


✓ Muitas vezes, na intenção de facilitar ou participar de uma

determinada brincadeira, acabamos antecipando resultados ou

interferindo no pensamento e na concentração da criança com um

brinquedo ou uma nova proposta. Antes de sugerir algo, espere para

ver o que a criança pensou e o que ela deseja fazer. Na maioria das

vezes, você irá perceber que ela quer muito menos do que você havia

imaginado. O adulto raciocina de maneira muito diferente da criança.

O universo delas é mais simples, com menos regras e muito mais

criativo. Saiba esperar e observar!


✓ Procure conquistar a confiança e o amor de seus pequenos. Se eles

gostarem de você, se sentirão seguros e confortáveis, e isso,

certamente, facilitará o seu trabalho com eles e com os seus pais.


✓ Se você tiver alguma criança agitada demais ou muito desobediente,

procure fazer amizade. Peça a ajuda dela para algumas tarefas e faça

com que ela se sinta importante e necessária para você.


✓ Não tenha medo de compartilhar uma fraqueza sua, a criança acaba

valorizando quem, assim como ela, comete erros. Não sinta vergonha

de dizer que não sabe sobre determinado assunto, que tem medo de

algo, ou que machucou o pé no ônibus lotado, que quebrou algo sem

querer... Coisas ruins acontecem e estamos sempre sujeitos aos nossos

próprios erros e aos erros dos outros. Faz parte!


✓ O ócio criativo (ficar sem fazer nada) é importante, mas criança sem

nada para fazer costuma ser um problema! Ofereça alguma atividade

para ocupá-la, para que não tenha tempo de pensar em traquinagens e

faça coisas que desenvolvam a sua inteligência. Por exemplo: ajudar

com os pregadores de roupa; organizar potes na cozinha; fazer lista de

compras... Tarefas de rotina da casa também podem render grandes

descobertas e brincadeiras.


✓ Crianças podem e devem brincar sozinhas! Quando elas estão

ocupadas com algo, imersas em seus mundos, e não pedem a sua

companhia, espere e aproveite para observar! Não interfira! Muitas

vezes, você poderá atrapalhar um pensamento que está sendo muito

importante, naquele momento de desenvolvimento. Aproveite para

observar como ela se comporta, o que a atrai, como organiza os

brinquedos, qual o seu momento de fantasia... Observar crianças

brincando nos proporciona muitos ensinamentos. Mas é claro que essa

conduta não se aplica a jogos eletrônicos, Ipads e televisão, onde os

pequenos acabam entrando em um mundo virtual e não percebem

mais o entorno em que vivem.


✓ Converse com ela sobre todos os assuntos que lhe digam respeito:

roupa que vai vestir; o que vai comer; o que gostaria de fazer... enfim,

explique a rotina. As crianças se organizam pelos rituais diários e saber

a ordem das coisas e acontecimentos diminui consideravelmente a

ansiedade.


Faça a diferença!

Você é muito importante para o desenvolvimento de suas crianças!