Buscar
  • Denise Personal Kids

Brincadeira é coisa séria!

Denise Schmitt Garcia


As pessoas que me conhecem um pouco já sabem o quanto levo a brincadeira a sério!


Através do brincar, a criança explora o mundo, dá significado às coisas e à si mesma,

desenvolve o corpo e a mente, aprende a se comunicar, a se expressar, entende regras

sociais e, então, vai conhecendo o mundo que a cerca e se localizando entre espaços,

pessoas, circunstâncias e afinidades.


Portanto, não tenho nenhum receio em dizer que a brincadeira de criança é uma atividade vital e de extrema importância para os nossos pequenos. Mas como acompanhar toda essa energia e necessidade de interação, quando o corre-corre do dia a dia nos tira tanto tempo e tanta atenção?


Na pura intenção de simplificar uma possível pesquisa e contribuir para a harmonia entre adultos e crianças em torno das brincadeiras, tomei a liberdade de preparar algumas dicas que, certamente, irão contribuir para melhorar o clima familiar, onde há filhos grandes ou pequenos.


Tenha tempo e o respeite! Nem que sejam apenas 15 minutos! Dedique-se à brincadeira nesse curto espaço de tempo que você separou para brincar com suas crianças. Isso significa sem TV, celular ou pensamentos abstratos.


Escolha um lugar onde você se sinta bem. As crianças querem mais a sua companhia e não se importam muito com os lugares escolhidos.


Você pode planejar alguma atividade ou não! Se não pensou em nada, pode ter certeza de que algo inesperado aparecerá para fazerem juntos. As crianças são muito criativas quando sentem que os adultos estão realmente disponíveis para elas.


Evite os pré-conceitos! Os adultos é que se importam com as funções específicas das

coisas, como cor de pele, com perfeição e com a razão. Crianças pintam bonecas de azul, fazer da mesa de jantar uma cabana e vivem em um contexto de realidade e fantasia. Não se importe tanto com as regras.


Brincar não significa gastar! Brinquedos são bem vindos, mas a atitude e a

disponibilidade contam mais do que o investimento financeiro. Sucatas não custam nada e rendem horas de criatividade e diversão!


Esguichos, grama, barro, potes plásticos, prendedores, roupas variadas, lençóis,

almofadas, insetos no jardim, árvores... também não custam nada. E acredite, nós

adultos somos muito interessantes para os pequenos quando levamos até eles as

experiências que tivemos em nossa própria infância!


Liberdade não quer dizer fazer tudo o que se quer de maneira desenfreada. Durante a brincadeira, é importante estabelecer combinações e regras de conduta que respeitem o espaço e os interesses do outro. Lembre-se sempre de que a criança aprende brincando, certo?!


Sempre que possível, aproveite áreas externas, varandas, quintais e ambientes amplos. Assim você irá se preocupar menos com a sujeira, o barulho e a contenção de energia de seus pequenos.


Aproveite para se colocar na posição de coadjuvante! Ouça ideias, permita que os

pequenos testem algo, mesmo que saiba que não dará certo! Exploração de mundo e

frustração também se aprendem brincando!


Se preferir, estabeleça um horário de término da brincadeira. Do tipo: quando o

ponteiro do relógio chegar aqui, mamãe/papai precisa trabalhar! Assim, você e a criança

conseguirão se organizar para que ninguém fique chateado quando o tempo acabar.

Vocês também podem deixar uma nova sessão de brincadeira já programada para outro momento! Isso sempre gera alegria e expectativa nos pequenos!


Na verdade, a melhor brincadeira que existe é aquela compartilhada de corpo e alma pela família! Brincar junto estreita vínculos, faz bem para o coração e contribui para o

desenvolvimento psíquico, social, motor e pedagógico das crianças. Por que não tentar

sempre?


Não disse que brincadeira era uma coisa séria?!