Buscar
  • Denise Personal Kids

Adaptação escolar - E agora?

Denise Schmitt Garcia


Seu bebê cresceu! Tudo passou tão rápido e ele já vai para a escola! E agora?


É normal que isso gere um misto de alegria e ansiedade, pois tudo aquilo

que é novo e desconhecido é sempre encarado como um desafio. No

período escolar, o desafio é para a criança, para os pais e para a própria

escola. Mas calma! Todos estarão em adaptação e empenhados para se

conhecerem e se ajudarem mutuamente.


Separei algumas dicas que facilitarão a vivência dessa nova fase, marcada

por descobertas, expectativas e sentimentos inesquecíveis.


1. Não existe idade certa ou melhor para o ingresso na vida escolar.

Algumas crianças começam já no berçário e outras, só após os três

anos de idade. Isso costuma variar conforme a necessidade, os

interesses e o modo de pensar dos pais. Especialistas afirmam que o

ideal é que a criança vá para a escola por volta dos dois anos, pois é

uma idade na qual a convivência com outras crianças passa a ser mais

estimulante, além de ter seu sistema imunológico fortalecido.


No entanto, se você tiver que voltar ao trabalho, estiver grávida de um

outro filho, é um pai ou uma mãe que mora sozinha (o) e não tem com

quem deixar a criança, nada de traumas!


Faça uma pesquisa e escolha um berçário com boas instalações e com

profissionais nos quais você confie. Certamente existirá uma escola em

que você se sentirá acolhida (o). Em alguns casos, é melhor mesmo ir

para uma boa escola do que deixar a criança em casa com alguém sem

formação ou preparação para estimulá-la.

2. Para o pai e a mãe, a adaptação começa já na escolha da escola. Antes

de mais nada, sentir confiança na escola onde o filho irá estudar é

imprescindível para garantir a paz dos pais e a da própria criança. Por

isso, antes da matrícula, procure ver se o método adotado corresponde

às suas expectativas e crenças, se o ambiente agrada, se conseguem

ver e imaginar a criança naquele lugar... mesmo que a escola tenha

sido muito bem recomendada. Vocês precisam se sentir bem

acolhidos!


3. Feita a escolha, a família precisa conhecer os rituais da escola,

frequentar as reuniões que antecedem o início das aulas e abrir um

canal de comunicação com os professores e a coordenação.


4. É importante levar a criança para conhecer a escola antes de iniciarem

as aulas. Mostrem a ela o quarteirão, o caminho até lá, as novidades

que encontrará ao chegar... Assim, vocês diminuem a ansiedade e

antecipam possíveis reações desagradáveis. Visitem calmamente cada

espaço, expliquem o que significa, mostrem o parque, a sala de aula, o

auditório, a quadra de esportes...


Não podemos prever o que a criança imaginou encontrar em seu

primeiro dia de escola, então procurem mostrar tudo! Em cada um

desses lugares, conversem sem pressa, no tempo da criança, e

expliquem como será bom vivenciar todas as oportunidades que ela

poderá experimentar: jogar bola, pintar, desenhar, fazer colagem,

aprender músicas etc. Mas é importante não exagerar na empolgação!

Não falar como se ela estivesse indo para um buffet infantil. Assim não

corremos o risco de ela se frustrar quando as aulas começarem.


5. Organizem juntos o material escolar pessoal, e permita que seu filho

opine e faça algumas escolhas - uniforme, lancheira, copinho... Ele se

sentirá participativo neste processo de iniciação e esse sentimento de

pertencimento é fundamental para enfrentar novos desafios.


6. É muito importante que o pai ou a mãe se programem para ficar na

escola todo o tempo necessário no período de adaptação. Neste início,

todos são estranhos para todos, a criança precisará deste suporte para

ir, aos poucos, adquirindo a confiança necessária para ficar bem

sozinha. É fundamental, porém, não interferir nas atividades e no

ritmo escolar. De preferência, ficar ao lado de fora da sala, aparecer de

vez em quando e ir espaçando esse tempo até sentir que a criança

realmente não sentirá mais a sua ausência. Normalmente as escolas já

têm um ritual pré-definido para lidar com a adaptação de pais e

crianças recém chegadas.


7. O primeiro dia na escola é sempre difícil. Não é à toa que ganhou o

nome de adaptação. Adaptação dos filhos, que chegam a um ambiente

novo, diferente e desconhecido; dos pais, que também sofrem com a

ansiedade e o medo da separação; e da escola que, ao receber uma

nova família, ganha também uma nova história e uma nova

responsabilidade.


8. A partir desse momento, a criança passará algumas horas do dia longe

da família, na companhia de pessoas que até ontem, ela sequer

conhecia, mas que cuidarão muito bem dela. É importante explicar

exatamente o que está acontecendo: que ela vai para a escola, que vai

ter professores, amigos novos, e que você irá busca-la ao final da aula.

Tudo com muita segurança e serenidade. E por favor, não se atrase!

Esteja lá no momento exato da saída!

9. É esperado que seu filho chore por não querer ficar longe de você. Esse

desconforto é normal no início da vida escolar. São raros os casos em

que a criança não demonstra insatisfação e sequer exige a presença

dos responsáveis nos primeiros dias. Você deve saber que este é um

momento de transição na vida dela. Por isso, é importante demonstrar

tranquilidade e confiança em relação à escola, às pessoas, e assim,

transmitir essa tranquilidade que ela tanto precisa.


Se você não se sentir seguro e confiante, talvez seja melhor transferir

essa responsabilidade de acompanhar a adaptação escolar para uma

outra pessoa. Muitas vezes avós, babás, madrinhas e tios podem ser

muito úteis neste processo de separação.


10. Não existe escola perfeita! As escolas sempre vão tentar fazer o

melhor, mas é preciso lembrar que elas são feitas por seres humanos e,

inclusive, para seres humanos diferentes de você. Seja flexível!


11. Ainda com relação ao choro, muitas vezes, a criança chora ao ver o

familiar se afastando, mas, logo depois, para e começa a brincar com as

outras crianças. Há momentos em que é importante ir embora sem

olhar para trás, para evitar que essa situação se arraste por mais

tempo. O desafio da separação faz parte do processo de

amadurecimento, tanto da criança quanto dos responsáveis.


Converse com os professores e coordenadores para decidir como agir

nesses casos. Se preciso, saia de cena, espere um pouco e certifique-se

de que a criança parou de chorar e está brincando antes de você ir

embora. Assim, todos ficarão tranquilos!


12. Uma dica importante: nunca vá embora sem se despedir da criança. Ela

pode se sentir traída e insegura em relação à escola e a você. E sempre

diga que você virá buscá-la. E, importantíssimo: não atrase!


13. Não desista! Muitos adultos se sensibilizam com a resistência do filho

à adaptação escolar e acabam retardando esse momento. O ideal é

que você esteja ao lado dele e converse muito. O que você deve ter em

mente é que está preparando seu filho para conviver em sociedade,

aprendendo a compartilhar, a ter limites, além daquilo que todos

esperam: ler, escrever, contar...


Com segurança, tranquilidade e muito amor pode ter a certeza de que

tudo acabará bem! Sempre queremos o melhor para as nossas crianças!

Bons desafios para vocês!